10 maneiras inusitadas de se sentir mais um gado no rebanho

Escolhi um título forte para este texto, creio que possa até gerar certo mal estar como primeiro impacto. A intenção era mesmo chamar a atenção e despertar curiosidade. Me inspirei em um fenômeno cada vez mais recorrente em nosso conectado cotidiano virtual. Quem nunca se viu curioso com um link de título forte, clicou e se sentiu logo em seguida frustrado e decepcionado com o conteúdo? Espero que não seja este o caso, pelo menos não é a intenção.

Os grandes portais da internet buscam antes de mais nada atrair cliques. Para isso o título tornou-se o ator principal, enquanto o conteúdo um mero personagem sem importância em um contexto medido pela quantidade de cliques. É só o clique pelo clique, não o seu clique, mas um clique qualquer. Virou número para as estatísticas em meio a tantos outros cliques capazes de produzir riqueza (ou melhor, dinheiro). Mais um gado no rebanho.

Mas se vivemos em um rebanho, não é melhor mesmo ser um gado? Resistir clicar para que? É como se houvesse uma força atuando e convocando a apertar o botão do mouse. E neste cenário surgem as infinitas listas criadas por um ser invisível e desconhecido, suposto detentor do saber:

10 dicas para subir na carreira

10 looks que vão bombar nesse verão

10 mais badalados restaurantes de São Paulo

10 programas imperdíveis para fazer a dois

10 passos para uma liderança eficaz

10 melhores hambúrgueres da cidade

10 formas de deixar o seu dia mais leve e feliz

10 conselhos para que você encontre sua alma gêmea

10 etapas para alcançar a plenitude

10 bares mais "tops" para curtir com os amigos

E daí ao infinito...

Sem se dar conta você está lendo todas essas listas, antes mesmo de se perguntar se quer mesmo achar um restaurante badalado, ou se gosta de hambúrguer. Programa imperdível? Pode ser, mas para quem?

Parece até haver um tom apelativo, é frequente o uso de palavras de potência. Imperdível, badalado, subir, bombar, eficaz, melhor, plenitude. Se atreva a não seguir a lista, e será um impotente. Siga a lista e será potente, terá sucesso! Será mesmo? Parece ser uma potência esvaziada, impactante por fora, mas oca por dentro.

Sigo a lista para que? Mais uma vez pergunto. Para quem? Perguntas que parecem deixar as cercas do rebanho mais visíveis. Assim passa a ser possível vislumbrar algo para além da cerca. Não há nenhum problema em ser gado, nem mesmo viciado em ler essas listas que nos seduzem! Não são as listas por si que nos aprisionam, mas o modo como interagimos com elas. É possível ser um gado livre em meio ao rebanho, um gado livre e leitor de listas. Mas neste caso as listas não terão um caráter de convocação imperativa, mas poderão ser fontes de criatividade. Quem sabe até possam estimular a construção de nossas próprias listas de interesse. Claro, isto se gostarmos de listas, caso contrário podemos jogá-las ao alto. Isto sim me parece uma potência mais genuína, que vem de dentro.

Os livros de auto ajuda hoje são best sellers, desta vez não é o número de cliques, mas a quantidade de exemplares vendidos que importa. Eles podem sim ajudar, aliviar. A auto ajuda pode nos fazer sentir gados mais adaptados ao rebanho em que vivemos. Haveria algum mal nisso? Creio que não, desde que como gado possamos ter a consciência de que há possibilidades de vida além das páginas (muitas vezes imperativas) de auto ajuda. Ou que o sentimento confortável de ajustamento seja mais benéfico do que a possibilidade de se sentir um gado livre (mesmo que desajustado ao olhar dos outros gados), fora das cercanias de seu rebanho.

Falando em ajustamento e adequação, não teria forma mais ajustada e adequada de terminar este texto, se não com um trecho da letra da música "Admirável Gado Novo" de Zé Ramalho:

Vocês que fazem parte dessa massa

Que passa nos projetos do futuro

É duro tanto ter que caminhar

E dar muito mais do que receber

E ter que demonstrar sua coragem

À margem do que possa parecer

E ver que toda essa engrenagem

Já sente a ferrugem lhe comer

Êh, oô, vida de gado

Povo marcado

Êh, povo feliz!

Deixe um comentário

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.